Dalva, Geni, Omar, Nancy, Iris, George, Alcides.. formam a Diretoria da ACP, que está muito preocupada em promover eventos que ajudem a melhorar a qualidade de vida dos portadores desta insidiosa doença!!!!

31 julho, 2007


MUSICA E PARKINSON
A Musicoterapia tem o papel essencial de vivificar as funções ditas mnêmicas (de memória), assim como as demais funções cognitivas, a ponto de, a partir da produção sonoro-musical, contribuir na elaboração de conteúdos mentais mais complexos, o que faz com que o doente resgate a memória desejada, que consiga o retorno de movimentos corporais comprometidos, que se sinta um ser produtivo e harmonizado com sua idade cronológica. Acrescente-se ainda que a Musicoterapia auxilia a pessoa idosa portadora da Doença de Parkinson a orientar-se, restabelecendo as coordenadas de tempo e espaço; a relaxar, no caso de insegurança ou ansiedade; expressar-se melhor, quando existem problemas de comunicação; potencializar as funções físicas e mentais com problemas e reforçar a autonomia pessoal, através da música; receber uma maior atenção, um reconhecimento e um sentido de seu próprio valor como sujeito, pois, por exemplo, ao retomar músicas da infância ou juventude, enfim, músicas que afetaram beneficamente sua vida, ao participar de sua execução, elas farão emergir sua criatividade musical, lhe trarão uma renovação em seu estado de ânimo, auxiliando a recompor corpo e espírito. [trecho da dissertação de mestrado de Pedro Lodovici Neto - PUC-SP 07]
Leia a entrevista que o pesquisador deu a Thaís Polato (tpolato@pucsp.br), no site da PUC-SP, no Portal do Envelhecimento ou clicando aqui.
vamos cantar, parodiar, dançar, sorrir......
comece o dia
com bom humor!!!

clique

video 01
video 02
video 03


3 comentários:

Anônimo disse...

Descobri recentemente que minha mãe está com Mal de Parkison. Somos de Campinas e gostaria de obter mais informações sobre esse Grupo.

Grata
Erika
e_mm@terra.com.br

Anônimo disse...

Sou portadora doMal do Parkinson e estou sempre a procura de tratamento alternativo, os avanços dasexperiencias cientificas,a participação em atividades de grupos .Penso que o parkinsoniano deve ter participação ativa no seu tratamento e decidir o que é melhor.Por isso gostaria de saber maipores informações sobre este grupo Estarei passando para o meu grupo .mEU NOME BADRA TENHO 70 ANOS.badra.farah@yahoo.com.br

ANDRÉ PREM disse...

Olá, meu nome é André.
Sou graduado em Musicoterapia,
e gostaria de estar propondo algumas oficinas, palestras... enfim, meu e-mail é: andre.lopes@yahoo.com.br
Aguardo um contato.
Com carinho,
André.